Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
Ainda no folheto dos "desvios" Frateschi, várias formas de dispor os trilhos, com maior ou menor espaçamento lateral, para uma estação ferroviária
Ainda no folheto dos "desvios" Frateschi, várias formas de dispor os trilhos, com maior ou menor espaçamento lateral, para uma estação ferroviária

  

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

   

Para uma história do ferreomodelismo no Brasil
A antiga geometria dos "trilhos" Frateschi

Resumo da geometria dos "trilhos" Frateschi, conforme o folheto de instruções dos "desvios"
Resumo da geometria dos "trilhos" Frateschi, conforme o folheto de instruções dos "desvios"
       
 

Dicas de projeto e desenho da maquete
Como traçar o centro dos trilhos na maquete | Compasso de cintel | Quebrando a cabeça no projeto
Ponha uma ferrovia em sua maquete | Dicas de geometria em maquetes | Projeto total de maquete: 7 dicas importantes
A antiga geometria Frateschi

 
Flavio R. Cavalcanti

A geometria do conjunto original de "trilhos" rígidos Frateschi funcionava como um teorema, regendo e dando sentido à modularidade dos kits e construções decorativas — várias delas lançadas muito tempo antes, sugerindo um sistema global planejado com bastante antecedência.

Não foi uma invenção a partir do zero. Seguia padrões bastante comuns, e que ainda hoje se encontram em vários fabricantes de ferreomodelismo. Seria interessante — pelo contrário — rastrear a origem dos padrões (ou falta de padrões racionais) da Atma.

Os "trilhos curvos" da Atma, por exemplo, não permitiam formar uma ferrovia tripla, com linhas regularmente espaçadas. Da curva mais fechada (raio = 360 mm), a Atma pulava para outra de (raio = +/-470 mm), deixando um espaçamento lateral de nada menos que 110 mm. A terceira curva Atma, com (raio = +/-520 mm) deixava um espaçamento lateral de apenas 50 mm. Além disso, a curva mais fechada (raio = 360 mm) tinha seção de 36 graus, inviabilizando o ângulo de 90 graus em um canto de mesa. Talvez por problemas como esse, os manuais Atma eram confusos, pouco transparentes quanto à geometria de seus trilhos para planejar a maquete.

Os catálogos, manuais e folhas de instruções da Frateschi, pelo contrário, chegaram ao mercado ensinando sua geometria de forma simples e clara. Como obter, por exemplo, o espaçamento necessário à colocação de uma plataforma entre duas linhas. Como espaçar os trilhos para uma oficina de locomotivas feita de múltiplos módulos. Ou para aproveitar as várias opções de montagem do portal de túnel.

Como reflexo dessa clareza de projeto, os códigos de referência indicavam as medidas exatas dos trilhos — ref. 4165 para indicar a reta de 165 mm no "desvio"; ref. 4166 para indicar o comprimento exato da curva correspondente; ref. 4220 para a reta de 220 mm; e assim por diante.

É interessante observar que, enquanto a Atma oferecia um trilho de 165 mm como reta padrão, a Frateschi adotou 220 mm, coadjuvada por outra de 110 mm. A soma é igual (165 + 165) = 330 = (220 + 110), ajustando-se às suas pontes ferroviárias metálicas em estilo antigo, respectivamente de 165 mm (ref. 1501) e de 330 mm (ref. 1510).

Mas, para trechos mais longos, a reta de 220 mm reduz o número de emendas. Além disso, oferece aclive constante de 2,27% com a rampa kit em módulos (pinos superpostos) de 5 mm de altura. Uma reta de 165 mm daria aclive de 3,0%, que já começa a ser excessivo para os ferreomodelos.

Onde a Atma oferecia um único "trilho de ajuste", reto, de 157 mm, a Frateschi ofereceu os de 55 mm e de 45 mm, os quais, associados ao de 110 mm, somam, respectivamente, 165 mm e 155 mm. A flexibilidade possibilitada para o projeto da maquete mostrou-se muito maior, permitindo solucionar praticamente qualquer situação, no âmbito dos "trilhos rígidos".

Um exemplo europeu

O catálogo da Lima, de 1971 / 1972, indicava os seguintes "trilhos" — por sinal, com perfis de alumínio, ou liga metálica muito semelhante:

Ref. Lima "Trilho"
3020 Reta 220 mm
3021 Reta 110 mm
3022 Reta 55 mm
3025 Reta 110 mm - terminal
3026 Reta 110 mm - alongável até 165 mm
3027 Desengate manual
3040 Cruzamento 18° - retas 220 mm
3041 Cruzamento 36° - retas 235 mm
3050 AMV direito, 18°, raio = ?
3051 AMV esquerdo, 18°, raio = ?
3011 Curva raio = 430 mm, ângulo = 30°
3030 Curva raio = 360 mm, ângulo = 36°
3031 Curva raio = 360 mm, ângulo = 18°
3032 Curva raio = 360 mm, ângulo =   9°

Como disse, a originalidade não foi mérito da Frateschi, que adotou várias medidas de tradicionais fabricantes de ferreomodelismo na época. No entanto, soube escolher entre as alternativas já usadas e comprovadas, as que melhor formavam um sistema coerente e prático.

   

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

No folhedo de instruções do antigo depósito de locomotivas, a geometria dos trilhos Frateschi para a montagem de módulos múltiplos
No folhedo de instruções do antigo depósito de locomotivas, a geometria dos "trilhos" Frateschi para a montagem de módulos múltiplos
Nos catálogos Frateschi das décadas de 1970 e 1980, imagens e especificações detalhadas dos "trilhos"
Nos catálogos da década de 1980, imagens e especificações detalhadas dos "trilhos" Frateschi,
tendo ao fundo uma série de sugestões "geométricas" para o planejamento da maquete
[página 7 do Catálogo Frateschi 1981]
Dicas de projeto e desenho da maquete
Como traçar o centro dos trilhos na maquete | Compasso de cintel | Quebrando a cabeça no projeto
Ponha uma ferrovia em sua maquete | Dicas de geometria em maquetes | Projeto total de maquete: 7 dicas importantes
A antiga geometria Frateschi
Geometria dos trilhos
Raios de curva e material rodante | AMVs e material rodante | Afastamento adicional em curvas
Rodas RP-25 | Trilhos Code 100 | Gabarito Mark III | Gabaritos EBCB e VFRGS
Frateschi Trens Elétricos - Histórico
1958: Brinquedos Frateschi | 1964: Postes telegráficos | 1967: Ponte metálica 165 mm | 1967: Plataforma de estação
1968: Portal de túnel e Depósito de locomotivas | 1969: Ponte metálica 330 mm, Vagão prancha e Vagão gaiola
1970: Vagão Frima | 1974: Estação moderna | 1977: A bula das locomotivas G12 | 1979: "Desvio" | Informativo Frateschi
1981: Carros Budd | 1992: Volantes de inércia | 1994: Ten-Wheeler nos EUA | Nos trilhos do mercado externo
1995: Motor Mabuchi | 2004: A locomotiva V8 / Escandalosa
Fábrica começou em fundo de quintal | A evolução é o caminho natural
Geometria dos "trilhos" Frateschi | Itens & Cronologia
Publicações da história do ferreomodelismo brasileiro
Manual Atma CA | Manual Atma CC | Sport Modelismo | EFOM | Informativo Frateschi | Apontamentos
Ferrovias para você construir | Estatutos da SBF | Catálogos Frateschi | Esporte Modelismo | Centro-Oeste
Catálogo Miniaturas Artesanais | Catálogo Model / Hobbylândia | Catálogo History | Ferrovia | Revista Ferroviária
Revista Brasileira de Ferreomodelismo | Informativo AFRJ | Escala Dupla | Escala UMM | Composição
Dormente de Ferro | Taipin | Dormente de Ferro | Trem de Ferro | SD40-2 | Jornal do Ferreomodelista
Guindastes ferroviários no Brasil | ABC do Ferreomodelismo | Como divulgar o hobby?
Publicações marcam períodos de expansão | Centro-Oeste inaugura sua tipografia eletrônica | Publicações listadas até 1991
As escalas da Frateschi
G-12 | G-22U | G-22CU | FA-1 | Consolidation | U-20C | U-5B
Vagão Tremonha | Carros Budd | Motores & motores
Marcas da história do ferreomodelismo brasileiro
Metalma | Erka | A bitola O brasileira | Estrela | Atma | Frateschi | Pioneer | Modeltrem / Hobbylândia | Miniaturas Artesanais
MR Custom | LAF | Phoenix | GM Paint | Minitec | Herpa | MRZ Decais | Pinto Family | Decais do Carlão | Hobbytec
Produtores em atividade | Lojas e serviços
Para uma história do ferreomodelismo no Brasil
Pré-História & Priscas Eras | Cronologia 1945-1965 | Cronologia 1965-1969 | Acréscimos & correções
Pioneiro vendeu tudo para se estabelecer | Fiz minha primeira locomotiva sem saber que era "HO"
A bitola O brasileira | "Você é europeu ou americano?" | Brinquedos Frateschi | Ferreomodelismo Frateschi
Afinal, quem somos nós, os ferreomodelistas? | Publicações marcam períodos de expansão

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade