Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
  

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Barra do Rio Grande
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes
Trem Curitiba - Lapa

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
  

Ferreoclipping

• Livro sobre a GWBR em João Pessoa e Recife - 12 Mai. 2016

• Museu Ferroviário de Natal - 25 Abr. 2016

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

Trem do Corcovado

Horários
Passagens
Bilheteria
Como chegar

Vídeos

Passeio
Bom de Samba
Descida acelerada
Estrada das Paineiras

Estrada de Ferro
do Corcovado

1972~79: Reconstrução
  • Automotrizes
  • Projeto
  • Decisão
1970: Devolução
1954
1932
1910: Eletrificação
  • Locomotivas
  • Equipamentos
1907
1898
Locomotivas a vapor
Percurso
1883-1889
Debret

Debret, 1824*

Corcovado
Lagoa
Entrada da Guanabara
Rio de Janeiro
Mangue

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Bibliografia

• A Gretoeste: a história da rede ferroviária GWBR - 25 Abr. 2016

• Índice das revistas Centro-Oeste (1984-1995) - 13 Set. 2015

• Tudo é passageiro - 16 Jul. 2015

• The tramways of Brazil - 22 Mar. 2015

• História do transporte urbano no Brasil - 19 Mar. 2015

• Regulamento de Circulação de Trens da CPEF (1951) - 14 Jan. 2015

• Batalhão Mauá: uma história de grandes feitos - 1º Dez. 2014

• Caminhos de ferro do Rio Grande do Sul - 20 Nov. 2014

• A Era Diesel na EF Central do Brasil - 13 Mar. 2014

• Guia Geral das Estradas de Ferro - 1960 - 13 Fev. 2014

• Sistema ferroviário do Brasil - 1982 - 12 Fev. 2014

   
Capa do livro “Corcovado: a conquista da montanha de Deus”
Capa do livro “Corcovado: a conquista da montanha de Deus”

Bibliografia: ferrovia e história
Corcovado: a conquista
da montanha de Deus


 
Flavio R. Cavalcanti - 16 Mar. 2013
Trem do Corcovado
—|—
Horários | Passagens | Bilheteria | Onde comprar | Como chegar

Corcovado: a conquista da montanha de Deus
Jorge Scévola de Semenovitch
Ed. Lutécia, 3ª Ed., Rio de Janeiro, 2010
170 p.

Na virada de 1986 para 1987, Luís Octávio, do Rio de Janeiro, propôs que eu — ou, digamos, o “Centro-Oeste” — publicasse o livro do Jorge Scévola de Semenovitch sobre a Estrada de Ferro do Corcovado.

Como là trabalhou algum tempo, resolveu escrever um livro sobre a história da ferrovia e do Cristo Redentor, mas infelizmente não houve interesse dos livreiros para publicar. Talvez você pudesse publicar. Já vi os originais” [Centro-Oeste nº 21 (Mai. 1987), p. 2].

Estava jogando minha vida para o alto, para publicar um simples “jornaleco” de 12 páginas em preto & branco, e não tinha a menor condição de tentar publicar um livro. Tivesse pelo menos um pouco de malícia, e poderia ter dado um jeito de receber uma cópia dos originais. Não tive tal malícia e, só por isso, hoje não posso documentar o que era o livro, naquele momento.

Foi publicado, afinal, em 1997. Uma segunda edição, em inglês, foi lançada em 2008. A terceira edição, de 2010, inclui três capítulos com atualizações da maior importância.

Adquiri agora uma cópia da terceira edição, de 2010, e acabo de “fichar” a parte do conteúdo que considerei relevante para todos os projetos imagináveis no site do “Centro-Oeste”. Nada menos que 412 parágrafos, 14,6 mil palavras, 75,5 mil caracteres. Não é pouca coisa, para um resumo só do conteúdo relevante.

Isso extrapola a mera “história” e dados técnicos da Estrada de Ferro do Corcovado. O livro — e os projetos previsíveis para um site que queira ser útil ao visitante — abrange os significados da montanha, desde seu papel de mirante estratético, no reinado de D. Pedro I, até seus significados turísticos atuais e futuros, além das dimensões fundiárias, ideológicas e religiosas.

Por incrível felicidade, acabo de receber também o livro da Memória da Eletricidade (Eletrobras), que de imediato já evidenciou inúmeros aspectos da pesquisa de Jorge Scévola de Semenovitch, tais como a provável cópia de blocos inteiros de textos de fontes anteriores. É prática comum nos trabalhos de historiadores “diletantes” (não profissionais ou acadêmicos), que muitas vezes não assinalam o fato. Perceber isso é fundamental para uma leitura crítica das informações, ora objetivas (com ressalvas), ora subjetivas.

Um exame dos relatórios do Ministério da Viação e Obras Públicas (MVOP 1909-1918) já havia exposto o valor e as fraquezas do texto de Stiel, em grande parte, igualmente, copiado e colado, com poucas alterações.

Em tais alterações, às vezes mínimas, muitas vezes reside boa parte do perigo. E na cópia (sem indicação explícita), boa parte do resto do perigo.

Dito isso, cabe registrar que a obra de Jorge Scévola de Semenovitch é a fonte mais completa, minuciosa e abrangente sobre a Estrada de Ferro do Corcovado, bem como sobre a estátua do Cristo Redentor e os mais diversos temas correlatos.

Lembrar que trabalhou na Estrada de Ferro do Corcovado, seria dizer pouco. Foi protagonista de quase todos os acontecimentos fundamentais relacionados à ferrovia e ao Cristo Redentor, desde a década de 1970, quando entrou especificamente para auxiliar em sua completa reconstrução e recepção dos novos equipamentos e automotrizes, passando pelas reuniões de coordenação da recuperação do monumento e revitalização do entorno, até a campanha pela votação do Cristo para compor as sete maravilhas do mundo atual. Recolheu depoimentos de funcionários que entraram na ferrovia desde a década de 1940, seus descendentes e descendentes dos construtores do monumento. Pesquisou relatórios e livros ao longo de muitos anos. Localizou informações e acervos até então inéditos, conservados por particulares. Desde então, nunca mais deixou se acompanhar e participar dos principais acontecimentos relacionados. A primeira edição de seu livro serviu de base para várias outras pesquisas e trabalhos, como o documentário de Bel Noronha repondo os fatos sobre a construção do monumento.

Por “completo”, não digo “em absoluto”. O livro da Memória da Eletricidade, por exemplo, com todas as suas falhas, logo à primeira leitura deixa evidente a existência de várias informações relevantes, esquecidas ou omitidas por Semenovitch.

Várias lacunas, talvez, por decisões de enfoque de Semenovitch. Cobrar maior abrangência e detalhamento, nas 170 páginas da 3ª edição, não faz sentido, exceto na medida em que se critique o historiador diletante por não ser “profissional”, com a melhor preparação acadêmica.

Tal crítica até caberia, se não esbarrasse na gritante inexistência de trabalhos de historiadores “profissionais” sobre as ferrovias, em si. Pesquisas acadêmicas existem, sim, sobre os ferroviários, relações de trabalho, ou outros aspectos. Raríssimas sobre as próprias ferrovias. Como se a infraestrutura material, por si só, não fosse relevante para a compreensão da história, digamos assim.

Por outro lado, os aspectos subjetivos do discurso de Semenovitch não deixam de ser, em si mesmos, um conteúdo riquíssimo para a leitura crítica sobre a ferrovia e o monumento.

Guiado por extremo rigor social (de classe) e “religioso”, torna-se gritante, por exemplo, quando, — após louvar ao extremo a participação do grupo Roberto Marinho em dois ou três momentos fundamentais do Cristo Redentor, — simplesmente não consegue apresentar uma única ação das organizações Globo na campanha por sua inclusão entre as sete maravilhas do mundo atual. Custa muito, imaginar que o Autor, tão rigoroso e socialmente diplomático, omitisse de forma proposital um apoio do / da Globo a essa campanha.

Contra toda ideologia subjacente ao longo do livro, apresenta uma campanha difícil e fraca, — em que pese páginas e mais páginas buscando alinhar fatos, — apoiada (na mídia) apenas pela fraqueza do Jornal do Brasil, até o momento em que o então presidente Lula, no programa “Café com o presidente”, pediu o apoio dos brasileiros à inclusão do Cristo Redentor entre as sete maravilhas da atualidade. Ainda que não frise, fica claro que foi o ponto de inflexão da campanha.

Para não dizer que não falou de Globo, cita que o vencedor do BBB da época se dispôs a gravar um vídeo pedindo votos para o Cristo Redentor.

Com certeza, um dos aspectos mais instigantes do livro, para bom entendedor do não dito.

Trem do Corcovado
—|—
Horários | Passagens | Bilheteria | Onde comprar | Como chegar
Percurso | Estrada das Paineiras | Passeio | Bom de Samba | Descida acelerada
1972~79: Reconstrução | Automotrizes | Projeto | Decisão
1970 | 1954 | 1932 | Eletrificação | 1907 | 1898 | Vapor | 1883-1889
A conquista da Montanha de Deus | 100 anos da eletrificação | Debret
Passeios turísticos e Trens de passageiros
Vitória - Belo Horizonte | São Luís - Parauapebas
Trem do Corcovado | São João del Rei | Ouro Preto - Mariana
Campos do Jordão | Trem das Águas | Trem da Mantiqueira
Trem das Termas | Montanhas Capixabas | Ubajara
   

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013

  

Bibliografia
braziliana

Grande sertão: veredas - 29 Out. 2014

Itinerário de Riobaldo Tatarana - 27 Out. 2014

Notícia geral da capitania de Goiás em 1783 - 26 Out. 2014

Memórias do desenvolvimento - 19 Out. 2014

Preexistências de Brasília - 13 Out. 2014

Viagem pela Estrada Real dos Goyazes - 9 Out. 2014

Francesco Tosi Colombina - 3 Out. 2014

Estrada Colonial no Planalto Central - 27 Set. 2014

A ilha do dia anterior - 18 Set. 2014

Chegou o governador - 12 Set. 2014

Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid - 3 Out. 2013

  

Bibliografia
braziliense

Conterrâneos Velhos de Guerra - roteiro e crítica - 7 Nov. 2014

Como se faz um presidente: a campanha de JK - 21 Ago. 2014

Sonho e razão: Lucas Lopes, o planejador de JK - 15 Ago. 2014

Brasília: o mito na trajetória da Nação - 9 Ago. 2014

Luiz Cruls: o homem que marcou o lugar - 30 Jul. 2014

Quanto custou Brasília - 25 Set. 2013

JK: Memorial do Exílio - 23 Set. 2013

A questão da capital: marítima ou no interior?

No tempo da GEB

Brasília: a construção da nacionalidade

Brasília: história de uma ideia

Acompanhe no FB

  

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade