Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
O relevo movimentado faz com que a maquete não seja "plana", embora o trem percorra trilhos totalmente nivelados
O relevo movimentado faz com que a maquete não seja "plana", embora o trem percorra trilhos totalmente nivelados

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

   

Ferreomodelismo: Terceira dimensão em maquetes de 3,5 m²
Trilhos planos, relevo movimentado


 
Centro-Oeste nº 19 — Out./Nov. 1986
** Atenção: isopor não oferece sustentação confiável **

Produzir a terceira dimensão — eis a fórmula mágica para fazer crescer uma mini-ferrovia retangular, p.ex., de até 3,5 m², equivalente a uma folha de compensado de 2,2 x 1,6 metro.

Um bom exemplo é dado pela segunda maquete (já desmontada) do Adão Pereira, de Goiânia, mostrada em algumas fotos tiradas com uma câmara Ricoh e lente comum.

A técnica dessa terceira dimensão foi o assentamento do leito de cortiça em cima de três camadas de isopor grossas (15 ou 20 mm cada).

Resultado: uma ferrovia circular plana, onde a paisagem nunca está no mesmo nível da linha, como ocorreria se a cortiça fosse assentada diretamente sobre a folha de madeira.

Afinal, quem ousaria dizer que esta é uma maquete "plana"?

O Adão fez a maquete em Brasília, levou-a para Goiânia e pendurou-a no teto, de onde era baixada apenas na hora de operar a ferrovia. Atualmente ele estuda outro projeto, eliminando a única parte pesada — a folha de madeira —, substituindo-a por uma estrutura de esquadrias de alumínio, mais leve.

A seguir, alguns pontos em destaque, seja para aproveitar ou mesmo para aperfeiçoar em outras maquetes ferroviárias.

Natural - Quase não há extensões de relevo plano, nem transições abruptas de um plano a outro, nem "muros de arrimo", nem morros brotando do plano sem qualquer explicação. A paisagem às vezes é mais alta do que a linha, mas existem muitos trechos (como na vida real) em que a linha corre sobre um aterro, irregular (não reto) e bastante suave, mais alto do que o terreno em volta. Esse efeito, cavando o isopor em volta da linha, faz com que os trens apareçam imponentes, altos (como na real). Isso não acontece quando a linha está quase no mesmo nível do "solo" (folha de madeira), das árvores e das construções da beira da linha.

Lago - Uma depressão abriga o lago com um vazadouro. Note que não há limite para o desnível que se poderia fazer no terreno, bem maior. A água foi feita pelo processo do vidro martelado, segundo as dicas do livro Ferrovias para Você Construir, da Frateschi (usadas também em muitos outros aspectos do paisagismo e da decoração). Faltou um acabamento melhor na junção lago / margem, com massa corrida de parede (massa PVA), imitando areia em alguns locais e trazendo a grama até a água, em outros. Com maior desnível pode-se instalar uma bela ponte curva de madeira em treliça.

Túnel - Embora seja um morro num canto apenas para justificar um túnel, não parece ser "um morro no canto apenas para justificar um túnel". Isso, porque o morro não brota do plano. Existe toda uma movimentação do relevo, com fases intermediárias da paisagem, integrando o morro no conjunto.

   

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

Ferreoclipping

• Livro sobre a GWBR em João Pessoa e Recife - 12 Mai. 2016

• Museu Ferroviário de Natal - 25 Abr. 2016

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

O pátio ferroviário é a única área realmente plana na maquete
O pátio ferroviário é a única área realmente plana na maquete 
Terceira dimensão em maquetes de 3,5 m²
Trilhos planos, relevo movimentado | Detalhes e decoração | Traçado dos trilhos e construções decorativas
Dicas de ferreomodelismo e maquete
Dicas e truques | Peças planas em Araldite | Criando material decorativo numa cidade do interior
Copiando rochas da natureza | O que é e como usar borracha de silicone | Moldes de latex
Fazendo e plantando capim | Fazendo árvores de arame ou fio elétrico
Engenhocas e utensílios para a decoração da maquete | Lojas úteis para ferreomodelistas | Mais lojas úteis
Maquetes & idéias
AMF | CMMF | SBF | EF Nova Neuffer | EF Vale do Aço | Opções & desafios
Maquete no teto | Ferreo Clube do ABC | Terceira dimensão
Maquete O / On30 para trens Lionel | EF Pireneus-Paranã | EF Paranaíba-Aragarças
Diorama | Diorama quadro a quadro
Dicas técnicas
Gabarito lateral em curva | Curvas e material rodante | AMVs e material rodante | Limpeza dos trilhos
Dicas para decoração
Relevo em gesso ou papel | Lastro para os trilhos | Construções em papel cartão | Material decorativo
Como fazer árvores | Túnel para maquete | Portal de túnel em resina
Mineração de ferro | Galpão para locomotivas
Dicas básicas
7 dicas importantes | Decálogo do ferreomodelista | Uma injeção de realismo em sua mini-ferrovia

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade