Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
Locomotiva Shay da Estrada de Ferro Oeste de Minas
Locomotiva Shay fabricada pela Lima Locomotive Works, Lima, Ohio, Estados Unidos, bitola 1,00 m, para a EF Oeste de Minas, onde recebeu n° 301. Observe a transmissão por cardã. (Cartão postal enviado por J.-M. Marmy e publicado no Centro-Oeste n° 26 - 25-Jun-1989. Infelizmente o original foi emprestado e até hoje não voltou. Continuo aguardando. A imagem foi scanneada a partir do próprio CO-26, cujas páginas são muito finas, aparecendo a sombra de textos e imagens da página seguinte)

Shay / EFOM, eletrificação e
Pacific 339 / 340

Eduardo Coelho
CO Textos nº 10
(1º-Ago-1989)

Embora não possua uma quantidade razoável de informação a respeito das Shay da EFOM, sei que foram compradas exclusivamente para uso na serra da Mantiqueira, entre Barra Mansa, RJ, e Augusto Pestana, MG, e possivelmente também além desta última.

Embora tivessem um esforço de tração razoável, se comparado às até então utilizadas (Pacific 4-6-2 e Consolidation 2-8-0), as Shay eram irritantemente vagarosas, o que acabou por levar a EFOM a eletrificar esse trecho.

Não tenho certeza do total de máquinas desse tipo adquiridas pela EFOM, mas acredito terem sido pelo menos duas.

As Pacific 339 e 340, construídas já pela RMV, não tinham caldeiras destas máquinas? Não sei ao certo.

Outras ferrovias que utilizaram as Shay no Brasil foram a EF Leopoldina e a EF Sorocabana. Talvez o Fábio Dardes possa dar mais informações, especialmente sobre estas últimas.

  

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

   

EFOM - Estrada de Ferro Oeste de Minas
As locomotivas Shay


 
Délio Araújo
CO Textos nº 10 — 1º Ago. 1989

A EF Oeste de Minas (EFOM) encomendou locomotivas Shay para o trecho da serra da Mantiqueira, entre Barra Mansa, RJ, e Augusto Pestana, MG.

As Shay não percorriam todo esse trecho. Pelo que ouvi em Belo Horizonte, de Waldemar Baeta Neves, eng° da Rede Mineira de Viação (RMV), lá por 1944 a 1948, elas circulavam das proximidades de Falcão até Augusto Pestana, passando por Passa Vinte e Carlos Euler.

O trecho é íngreme, rampa contínua de 4 por cento! As locomotivas Pacific que faziam os trens mistos levavam cerca de 80 a 90 toneladas de trem serra acima. As locomotivas 2-8-0 Consolidation, um pouco mais.

Os trilhos eram leves, impedindo a utilização de maior peso por eixo.

A EFOM relutou muito em empregar locomotivas Garrats ou Mallets de simples expansão, por falta de experiência e até por falta de conhecimentos sobre locomotivas articuladas.

Então vieram as locomotivas Shay, na década de 1920. Extremamente lentas, em pouco ou nada melhoraram a tração na serra. Nunca faziam mais de 8 ou 10 km/hora!

Pela foto (CO-26), não se percebe que a transmissão tem um redutor na engrenagem de cada eixo motriz, isto é, a roda dentada do cardã é de pequeno diâmetro e os dentes das rodas motrizes vêm no aro das mesmas. Logo, a velocidade é sempre baixa.

Por outro lado, os três cilindros laterais têm a respectiva distribuição montada no mesmo eixo de manivela, dificultando a manutenção.

Pela foto, não se vê também que a caldeira não está no centro da locomotiva, mas deslocada para o lado contrário ao dos cilindros. Era para equilibrar a massa total da locomotiva.

Quanto à tração, excelente. Não derrapavam. O coeficiente de aderência era elevado, mesmo com os trilhos molhados ou úmidos — 30 a 33 por cento!

Mas a baixa velocidade fez a EFOM pensar na eletrificação do trecho Barra Mansa – Augusto Pestana e, pouco tempo depois, até Andrelândia.

As Shay perderam a utilidade no final da década de 1920, encostadas que foram. Ouvi também de maquinistas da RMV (pois a RMV resultou da fusão da EFOM e da Rede Sul Mineira ou EF Sul de Minas, além da EF Paracatu, em 1931), há 40 anos, que as caldeiras das Shay foram aproveitadas para a construção, em Divinópolis, MG, das Pacific 4-6-2 números 339 e 340!

Realmente, a 339 e a 340 tinham aquela inclinação da caldeira, entre os dois domos. A 339 morreu em explosão de caldeira, há pouco mais de 30 anos, e a 340 encontra-se exposta em Divinópolis.

Gostaria que alguém confirmasse se o que escrevo é história ou estória. Foi o que ouvi, se a memória não falha.

A serra das Garrat (I) | E por falar na serra de Friburgo... (II) | A serra das Garrat (III) | A serra das Garrat (IV)
As locomotivas Garrat no Brasil (Tabela) | E por falar nas Beyer-Garrat... | As Shay da EFOM
As experiências da Leopoldina | As experiências da Leopoldina II
SR2 RFFSA : VFCO : RMV : EFOM...
Esquema das linhas | Perfil das linhas | Quadro de Tração | Locomotivas
Locomotiva n° 233 da RMV | As locomotivas de Divinópolis | As locomotivas Shay da EFOM
Vídeo-documento: O último Trem do Sertão | Vídeo-evocação: Trem do Sertão | Trem de Pirapora
Estações em 1960: RMV | EFG
Mapas: 1984 | 1970 | 1965 | 1960 | 1954 | EFOM 1927 | RSM 1926
Mapas de 1898: EFOM | Muzambinho, Minas e Rio | Sapucaí
Mundos perdidos da República Velha | EF Paracatu não mudou o sertão
Angra dos Reis | Eletrificação | Trem da Mata Atlântica | De Barra Mansa a Lavras
A estação de Brasília | Brasilia em trilhos | VFCO - o Livro | Home VFCO
Locomotivas a vapor
Como funciona a locomotiva a vapor | Detalhamento de uma Mikado
Classificação de locomotivas a vapor | Classificação Whyte | Classificação Whyte, França, Alemanha | Tentugal nº 50 vs. F.M.Whyte
As locomotivas Garrat no Brasil | Um apito para cada situação | A balada de Casey Jones | Fornalha Wootten
Pacific 4-6-2 nº 339 e 340 RMV | Locomotivas da EF Perus-Pirapora | Jung da Usina Monte Alegre (PB)
Miniatura Mikado realmente a vapor | Vídeo da locomotiva Mikado 165 EFVM
   
  

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013


Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade