Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
 

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

   

Vagão Caboose:
Para que serve um Caboose?


 
J. Oscar - Março 2003

O caboose, como já disseram nos outros e-mails servia como escritório do chefe do trem e alojamento para a equipagem dele. Também servia para monitorar a condição da pressão de freio integridade do comboio e de sinalização para o final do trem. Hoje eles foram substituídos por dispositivos eletrônicos de monitoração e sinalização para o final do trem, os chamados End Of Train Device ou Fred (acho que é isso).

Nos Estados Unidos existiam vários tipos deles. Os mais antigos, de madeira, são os mais interessantes. Existiam os chamados cúpula, aqueles que tem um cocuruto no meio ou numa das pontas; os wide vision, cujo cocuruto era mais largo que o vagão; e os bay window, que não tinha o cocuruto, mas extensões nas laterais. Existiam também os transfer caboose, que eram parecidos com um vagão prancha e um caboose no meio, formando grandes varandas nas extremidades. Na Denver & Rio Grande, tinha um tipo especial de caboose, os chamados Drover caboose, que eram cabooses maiores e eram usados nos trem de transporte de gado e precisava de uma equipagem muito grande e necessitava de mais alojamentos para todo mundo.

Lá, os cabooses eram praticamente marcas registradas das ferrovias. Muitas delas tinha seu formato próprio. Quando eles foram baixados, muitos admiradores levaram os seus como lembrança. Houve uma reportagem na revista Trains, sobre a viagem de milhares de quilômetros de um caboose da Santa Fe para seu novo posto na propriedade de um admirador.

Vagões caboose no Brasil
O que é um Caboose? | Para que serve um Caboose? | Instabilidade
EFCB | Leopoldina | EF SP-RG | NoB | Fepasa | CPTM | EFVM | VFRGS | EF Amapá | ALL | SR7 RFFSA | FUS (México)
Ferreomodelos: Fepasa | EFCB / RFFSA | Mogiana | CPTM | SR7 RFFSA | CPEF
   

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

  

Ferreosfera

  

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade