Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
Vagão caboose do trem de amônia em Alagoinhas (Bahia)
Vagão caboose do trem de amônia em Alagoinhas (Bahia)

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Bibliografia

• A Gretoeste: a história da rede ferroviária GWBR - 25 Abr. 2016

• Índice das revistas Centro-Oeste (1984-1995) - 13 Set. 2015

• Tudo é passageiro - 16 Jul. 2015

• The tramways of Brazil - 22 Mar. 2015

• História do transporte urbano no Brasil - 19 Mar. 2015

• Regulamento de Circulação de Trens da CPEF (1951) - 14 Jan. 2015

• Batalhão Mauá: uma história de grandes feitos - 1º Dez. 2014

• Caminhos de ferro do Rio Grande do Sul - 20 Nov. 2014

• A Era Diesel na EF Central do Brasil - 13 Mar. 2014

• Guia Geral das Estradas de Ferro - 1960 - 13 Fev. 2014

• Sistema ferroviário do Brasil - 1982 - 12 Fev. 2014

  

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013

   

Fim de semana em Alagoinhas
O caboose do trem de amônia da SR-7


 
Alexandre Santurian
Centro-Oeste dc-14-15 — 30 Jun. 1991

A estação São Francisco, a 122 km de Salvador, localizada a cerca de 600 metros do centro de Alagoinhas, foi construída pelos ingleses no final do século passado, à época da Bahia & São Francisco Railway. Suas pilastras de sustentação são de aço, trazidas da Inglaterra.

Foi remodelada em 1935 e tombada pelo patrimônio histórico e cultural da cidade em 1987. Atualmente, a arcada central está condenada. Uma placa da prefeitura, de Abr. 1990, afirma que ali será instalado um museu ferroviário, com a restauração do prédio.

  

Esta edição do Centro-Oeste traz mais 3 fotos (maiores) do caboose CQD-602396-7D, não numeradas (1ª e Última capas), e o mapa ampliado da região (Atlas 84), na página 12.

As fotos foram tiradas por Alexandre Santurian, em dias chuvosos (nublados).

Com a EF Amapá, o trem de amônia do Centro-Sul e o trem de containers Rio–SP (TF-5/12), já são 4 as ferrovias brasileiras atuais que utilizam cabooses.

N.W.:Estas fotos sofreram ajustes drásticos para a web, resultando no surgimento de pequenos pontos brancos e na "queima" das áreas mais iluminadas (FRC, 05-Jan-2001). As fotos foram refeitas, em tamanho maior, e com tratamento menos radical, mais real (25 Fev. 2016).

Resta saber quando, pois este prédio bonito não agüentará muito tempo. Aí funcionam, hoje, apenas os escritórios do chefe da estação e da polícia ferroviária.

É justamente nessa estação que existe a bifurcação das linhas — à esquerda, a linha segue para Senhor do Bonfim, Juazeiro e Petrolina (Linha Centro); à direita, segue para Aracaju, Maceió e Recife (Linha Norte).

Segundo os maquinistas, a Linha Centro não está em boas condições de conservação, mas as Linhas Norte e Sul (esta, para Camaçari e Salvador) estão em bom estado — exceto no trecho Pojuca — Mata de São João, onde quase não existe lastro e os dormentes estão fincados praticamente no chão, que ainda por cima é de massapê (terra mole).

É por isso que, de vez em quando, os trens de combustíveis descarrilam naquele trecho. Na Bahia, os trilhos são TR-37, exceto na região de Salvador, Candeias e Camaçari (TR-57).

Trem de combustíveis

No domingo, às 10h50, registrei a chegada desse trem de combustíveis, que saiu da refinaria de Mataripe, em Candeias, no início daquela manhã, e seguiu mais tarde para Petrolina (PE), às margens do rio São Francisco, pela Linha Centro.

Eram 22 vagões-tanque carregados de óleo cru, gasolina, óleo diesel e álcool, tracionados por esta U10B (Foto 2, Foto 3) e pela U8B n° 2179. Uma terceira locomotiva, com defeito, vinha acoplada como vagão corta-fogo, e foi deixada nas oficinas de Alagoinhas, para manutenção. Como corta-fogo, foi então acoplado um vagão tanque carregado de água, entre as locomotivas e os tanques de combustíveis.

Em Alagoinhas, também ocorre a troca das equipagens das locomotivas (tripulações). O licenciamento ainda é efetuado por bastões. Todas as máquinas de licenciamento e aparelhos telegráficos de Alagoinhas são de fabricação inglesa, mas não fui autorizado a fotografá-los.

Trem de amônia

Pontualmente, às 12h00, as locomotivas U10B n° 2244 e 2265 (Foto 4) chegam a Alagoinhas, com o trem de amônia da Nitrofértil, proveniente de Laranjeira (SE), com destino ao polo petroquímico de Camaçari.

Na Foto 5 e Foto 6, vêem-se os vagões de amônia da composição estacionada, aguardando a saída do trem de combustíveis para a Linha Centro.

N. R.: Embaixo do logotipo e do nome da Nitrofértil, existe a inscrição "Empresa do grupo Petrofértil" (no mesmo estilo de letras maiúsculas, também em verde). No entanto, isso ocorre em apenas um dos lados do vagão — e, curiosamente, parecem estar todos alinhados para mostrar essa inscrição do mesmo lado.

Não existe a inscrição "Propriedade da Petrofértil", em nenhum dos lados. Em ambos, debaixo do losango com a caveirinha, existe a mesma inscrição "Amônia anidra", em letras maiúsculas do mesmo estilo, porém em vermelho.

Em Alagoinhas, também é substituída a equipagem do caboose. Segundo a equipagem, nunca houve acidente ou vazamento de amônia.

A SR-7 tem, atualmente, 5 cabooses, sendo 3 em operação, 1 em manutenção e 1 em construção — todos construídos nas oficinas de Alagoinhas. Sua tara é de 21 mil kg.

Na Foto 7, o trem de amônia, já estacionado na plataforma do pátio externo da estação de São Francisco, na direção de Camaçari, aguarda o licenciamento para seguir viagem.

N. R.: Observe a cabine moderna, à direita. De acordo com outras fotos mais distantes, a escada de acesso começa do lado oposto ao automóvel estacionado, prossegue subindo pelo lado voltado para a estação, e chega à varanda sobre o carro. Esta varanda se estende pelo lado de cá (à direita de quem vê a foto), até o lado oposto ao do automóvel.

Caboose do trem de amônia

Os tanques que se vêem nas duas extremidades dos cabooses da SR-7 transportam água, para neutralizar os vazamentos de amônia.

O caboose é empregado como carro de segurança, com funcionários especialmente treinados para emergências — 2 da RFFSA e 1 da Nitrofértil, — com equipamentos de proteção individual (EPIs), tais como máscaras contra gases, roupas de amianto à prova de fogo e de gases, óculos especiais, luvas e botas de proteção.

Também dispõe dos equipamentos inerentes a um verdadeiro carro de bombeiros, tais como tanques, extintores e equipamento de rádio-comunicação. Numa das extremidades, existe uma moto-bomba, onde são conectadas mangueiras capazes de alcançar qualquer vagão da composição (geralmente, 10 a 12 vagões).

Os cabooses pertencem à RFFSA e ficam estacionados nos pátios da SR-7 em Camaçari e Dias d'Avila (BA) — principalmente neste último — e também na unidade da Nitrofértil em Laranjeiras (SE). Eventualmente, um ou outro fica no pátio da Nitrofértil em Camaçari.

Percurso dos trens de amônia

A amônia é produzida pela unidade da Nitrofértil em Laranjeira (SE) e transportada para a unidade de Camaçari (BA), tanto por ferrovia como por navio — pois a empresa possui um terminal marítimo próprio, no porto de Aratu, localizado na baía do mesmo nome, no município de Candeias. É uma baía dentro da baía de Todos os Santos, próxima a Salvador.

A amônia é transportada nos vagões-tanque em estado líquido, a uma pressão de 15 kg/cm², e é distribuída como matéria-prima ou insumo para outras empresas do polo petroquímico de Camaçari, através de tubovias. Seus maiores consumidores são a Copene (Cia. Petroquímica do Nordeste S/A), a Pronor Petroquímica S/A e a Nitrocarbono S/A.

A Nitrofértil também possui uma frota de vagões fechados graneleiros, para o transporte de uréia, também de Laranjeira (SE) para Camaçari (BA). A uréia é matéria-prima para a produção de fertilizantes nitrogenados, para uso na agricultura.

Normalmente, a média é de 1 trem diário, em cada sentido, demandando 24 horas para atingir seu destino, segundo informações colhidas na Nitrofértil. De acordo com o maquinista, a viagem de Laranjeira a Camaçari é feita em 15 horas.

Em meados de abril, o transporte ferroviário foi temporariamente suspenso, em virtude da parada para manutenção preventiva da unidade industrial da empresa em Camaçari, para troca de equipamentos. No final do mês, estava previsto que o transporte voltaria a ser realizado, a uma média de 2 composições diárias em cada sentido. De acordo com o pessoal da Rede, o tráfego é de 1 trem diário, em cada sentido.

   

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Barra do Rio Grande
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes
Trem Curitiba - Lapa

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
  

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferreoclipping

• Livro sobre a GWBR em João Pessoa e Recife - 12 Mai. 2016

• Museu Ferroviário de Natal - 25 Abr. 2016

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

  

Legislação

• Estrutura da Valec - Decreto 8.134, de 28 Out. 2013

• “Open access” e atuação da Valec - Decreto 8.129, de 23 Out. 2013

• Sistema Nacional de Viação - Lei 12.379, de 6 Jan. 2011

• Aviso RFFSA - Trens turísticos - 7 Out. 1992

Moedas | Medidas
  

Ferreosfera

Acompanhe no FB

Fim de semana em Alagoinhas
Foto 1 | Foto 2 | Foto 3 | Foto 4 | Foto 5 | Foto 6 | Foto 7 | Foto 8 | Capa 1 | Capa 2
Ferreomodelo | 1890-1900 | Notas | Mapa
Vagões caboose no Brasil
O que é um Caboose? | Para que serve um Caboose? | Instabilidade
EFCB | Leopoldina | EF SP-RG | NoB | Fepasa | CPTM | EFVM | VFRGS | EF Amapá | ALL | SR7 RFFSA | FUS (México)
Ferreomodelos: Fepasa | EFCB / RFFSA | Mogiana | CPTM | SR7 RFFSA | CPEF
VFFLB : SR-7 RFFSA
Histórico das ferrovias da Bahia (1991) | Trem suburbano de Salvador | Metrô de Salvador
Locomotivas U8B da SR-7 | As Davenport da VFFLB | As elétricas IRFA | Carro O-200
O caboose do trem de amônia | Locomotivas em 1992 | Plantas das locomotivas
Ferrovia EF-101 | Ferry-boat Colégio-Propriá | Estações em 1960 | Trilhos até 1944
Mapas: 1984 | 1970 | 1965 | 1954 | EF Petrolina - Teresina em 1927 | 1898 | 1860 | Subúrbios
Fotos: Salvador 1971 | Ilhéus 1971 | Derby 1905 | Bahia and San Francisco Railway 1860-1861
Relatórios: VFFLB 1944-1946 | VFFLB 1936 | Ilhéus 1951 | Back to Bahia
Pátios e estações ferroviárias
Bauru | Porto Novo | Brasília | Ribeirão Preto | Uvaranas | Angra dos Reis | Calçada
Bananal | Ituanas | Contestado | Porto Velho | Alagoinhas | Queimadas | Aramari
Pau Lavrado | Fortaleza | Sobral | Sarzedo | Pires do Rio | São Carlos | Santa Maria
Lucélia | Inúbia Paulista | Adamantina | Osvaldo Cruz | São José dos Campos
Cachoeiro de Itapemirim | Triângulo | Itabaiana | Teresina | Rio Grande

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade