Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
Trem de bauxita na estação ferroviária de Porto Novo do Cunha, em Além Paraíba (MG)
“Trem de vagões-hopper HAD carregados de bauxita diante do que resta da estação ferroviária de Porto Novo do Cunha
(Além Paraíba, MG) em 25/mar/1995 [Outra foto]. O trem seguirá para Três Rios, RJ, onde a carga passa para gôndolas
de bitola larga. Há outra baldeação, desta vez para gôndolas de bitola métrica”.
Foto: Pedro Rezende, Centro-Oeste n° 97 — 1° Nov. 1995

Trens turísticos

Trem do Corcovado
São João del Rei
Campos do Jordão
Ouro Preto - Mariana
Trem das Águas
Trem da Mantiqueira
Trem das Termas
Montanhas Capixabas
Barra do Rio Grande
Teleférico de Ubajara

Em projeto

Expresso Pai da Aviação
Trem ecoturístico da Mata Atlântica
Locomotiva Zezé Leone

Antigos trens turísticos

São Paulo - Santos
Cruzeiro - São Lourenço
Trem da Mata Atlântica
Trem dos Inconfidentes
Trem Curitiba - Lapa

Calendário 1987
VFCJ | Bitolinha | Lapa | Inconfidentes | Trem da Serra | Paranapiacaba
  

Trens de passageiros

Vitória - Belo Horizonte
São Luís - Parauapebas

Antigos trens de passageiros

Xangai
Barrinha
Expresso da Mantiqueira
Barra Mansa a Lavras
Trem de Prata
Trem Húngaro
Automotrizes Budd
Litorinas Fiat
Cruzeiro do Sul
Trem Farroupilha
Trem de aço da Paulista

Plataforma de embarque: 1995

Trens turísticos e passeios ferroviários
Trens de passageiros
Museus ferroviários
Maquetes ferroviárias
Eventos

  

Ferreoclipping

• Livro sobre a GWBR em João Pessoa e Recife - 12 Mai. 2016

• Museu Ferroviário de Natal - 25 Abr. 2016

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• Estação Pirajá completa a Linha 1 do Metrô de Salvador - 28 Nov. 2015

• Metrô DF direciona 2/3 dos trens para a Ceilândia - 27 Ago. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

Programação de Corpus Christi nos trens turísticos da ABPF Sul de Minas - 25 Mai. 2015

Passagens do trem para Vitória esgotam-se 15 dias antes do feriado - 22 Mar. 2015

  

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

Legislação

• Estrutura da Valec - Decreto 8.134, de 28 Out. 2013

• “Open access” e atuação da Valec - Decreto 8.129, de 23 Out. 2013

• Sistema Nacional de Viação - Lei 12.379, de 6 Jan. 2011

• Aviso RFFSA - Trens turísticos - 7 Out. 1992

Moedas | Medidas
   

Estrada de Ferro Leopoldina
Memórias da Leopoldina


 
Hugo Caramuru
Centro-Oeste nº 92 (1º-dez-1994)

Antigamente, quem vinha do Rio de Janeiro de trem pela Central do Brasil, encontrava no percurso vários ramais e entroncamentos ao longo do trajeto.

Em Juiz de Fora, km 275 da Central, podia-se ver à direita uma imponente estação em estilo antigo, com relativo movimento — alguns carros e vagões parados e, quem sabe, até mesmo uma composição pronta para partir.

Pois este era o ponto final de um ramal da Leopoldina (extinto em meados dos anos 70), vindo de Furtado de Campos, importante entroncamento a 80 km de Juiz de Fora. O último trem de passageiros do ramal saiu em 31/jan/1972.

Esse trem — que podia ser o expresso de São Geraldo — partia de manhã, subia os morros, contrafortes de Juiz de Fora, e entrando à direita chegava a Comendador Filgueiras, já no alto da serra.

Seguia por Coronel Pacheco, Goianá, Rio Novo e Furtado de Campos, onde encontrava um dos maiores ramais da Leopoldina.

Edmundo Siqueira, em seu "Resumo Histórico de The Leopoldina Railway Co. Ltd.", diz que "esta estrada tem sua origem no contrato de 1º/set/1880, que cogitava da construção de uma estrada de Juiz de Fora ao distrito de Piau. O decreto nº 8.130, de 11/jun/1881, aprovou os estatutos da Cia. Estrada de Ferro de Juiz de Fora a Piau".

"Em 09/out/1884 foi inaugurado o tráfego, com as estações de Juiz de Fora, Chácara, Comendador Filgueiras, Água Limpa e Lima Duarte. Em 1888, estava atingindo Rio Novo, que na época chamava-se Piau-Rio Novo".

"Em 12/ago/1884, por contrato, foi essa estrada vendida à Cia. Estrada de Ferro Leopoldina, em cujo poder se conservou até 1896". A partir desta data, os debenturistas da antiga Cia. Juiz de Fora a Piau retomaram na Justiça o ramal, que após muita peleja será propriedade perpétua da Leopoldina em junho de 1913.

Inicialmente, a quilometragem começava em Juiz de Fora e terminava em Piau-Rio Novo, quase 70 km depois. Quando da Leopoldina, a quilometragem iniciava-se no km 296, em Furtado de Campo — 4 km após Rio Novo — e findava em Juiz de Fora, km 373.

Quem viesse do Rio pela Leopoldina, pela linha tronco de Caratinga, sairia de Barão de Mauá, RJ; passaria por Caxias, RJ; subiria a cremalheira de Petrópolis; e atingiria Três Rios — quase na divisa RJ/MG, onde o trem era partido em dois. Um pedaço iria para o ramal de Carangola, à direita; e o outro para o ramal de Caratinga, à esquerda.

Prosseguindo pela esquerda, o trem atingia Bicas, já no km 249. Aqui havia — há até hoje; mesmo sem trilhos; o material é transportado por caminhão! — uma importante oficina da estrada.

Descendo uma serra, estava o trem atingindo São João Nepomuceno; e mais um pouco, no km 296, chegava a Furtado de Campos, onde à esquerda saía o ramal de Juiz de Fora.

O trem seguia para Piraúba; Ligação — onde à esquerda recebia a linha que vinha de Recreio, passando por Cataguazes —; e chegava a Ubá, terra do compositor Ari Barroso, no km 356.

Adiante, mais uma grande oficina da Leopoldina, ativa até hoje: — São Geraldo, pé da serra do mesmo nome.

Esta subida era — é — um dos mais bonitos trechos ferroviários da Leopoldina. É uma subida de 30 km, passando até três vezes pelo mesmo local.

O trem seguia por Viçosa — onde existe uma importante universidade federal — e atingia Ponte Nova no km 496, à cota de 546 metros do nível do mar. Aqui era o ponto final de um ramal de bitola estreita da Central, vindo de Miguel Burnier e Belo Horizonte.

Indo à direita, o trem iria atingir Caratinga, no km 686.

Uma viagem assim levava mais de 2 dias, com muita roupa queimada de fuligem; ou, mais recentemente, muitos colarinhos pretos de fumaça de óleo.

Hoje, a maioria do traçado e dos ramais foram erradicados. A linha vem do Rio de Janeiro pelo antigo ramal da Central (ex-Melhoramentos); atinge Três Rios; segue à direita, até Além Paraíba; e logo depois, Recreio. Aqui inicia-se a Linha Transversal de Recreio, MG.

O ramal de Minas segue à esquerda, para atingir Ligação, passando por Cataguases, e daí até Ponte Nova, onde só existe a linha para Belo Horizonte, passando por Ouro Preto, Mariana, Miguel Burnier etc.

Hotel da estação ferroviária de Porto Novo (Além Paraíba, MG), em 1988
Hotel da Estação, de Porto Novo (Além Paraíba, MG), em 1988. Nos pilares de ferro lê-se “EF Pedro II”. Aqui chegavam os trilhos da Central e iniciavam-se os da Cia. de EF Leopoldina
(a partir de 14 Jan. 1898, Leopoldina Railway).
Aqui, a linha foi inicialmente de bitola larga.

De Recreio, para a direita, segue o antigo ramal de Manhuaçu, até a entrada de Cisneiros, de onde — seguindo a antiga linha transversal de Campos — atinge Campos, RJ, onde encontra a linha Rio de Janeiro - Vitória, ES.

A maior parte da Leopoldina foi erradicada, a densidade de tráfego é baixa, alguns trechos só têm trem a cada 2 dias.

É o caso do trecho Cataguases a Ponte Nova, onde já se ouve falar em erradicação, "por não se justificar". O cargueiro que desce de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro vem até Recreio, estica até Campos, e daí, beirando o litoral, chega ao Rio. Isso porque o trecho montanhoso de Miguel Pereira, RJ, da antiga Central (ex-Melhoramentos) desgasta muito o flange das rodas das locomotivas — U-12B, às vezes U-20C —, ficando então sem tráfego por muitos dias.

Recentemente, o trecho de Cataguases foi escolhido por Antônio Ermírio de Moraes (grupo Votorantim) para transportar bauxita de sua mina em Barão de Camargo, Cataguases, até Barão de Angra, em Três Rios, RJ.

O trecho está passando por uma remodelagem, e os trens-unitários de cerca de 20 gôndolas levam a bauxita para ser baldeada para a bitola larga em Três Rios — de onde segue para São Paulo, onde baldeia novamente para a métrica da Fepasa, rumo a Sorocaba, onde fica a fábrica da Cia. Brasileira de Alumínio — CBA.

No trecho de Cataguases, são tracionados por locomotivas U-20C — especialmente deslocadas para este serviço — dois trens diários.

O que era a Leopoldina — ou o que sobrou — tornou-se a Divisão Operacional Campos (Docam); e hoje é a Superintendência Regional Campos, SR-8. Ou a "oitava", como chamam os ferroviários.

Ao lado — Hotel da estação de Porto Novo (Além Paraíba, MG), em 1988. Nos pilares de ferro lê-se "EF Pedro II". Aqui chegavam os trilhos da Central do Brasil e iniciavam-se os da Cia. de EF Leopoldina, e a partir de 14/jan/1898, Leopoldina Railway. Aqui, a linha foi inicialmente de bitola larga. Foto: Hugo Caramuru.

«» ª • — “”
Estrada de Ferro Leopoldina
Retrilhando a Leopoldina” | Montanhas Capixabas | Memórias da Leopoldina | Histórico & mapa
A serra das Garrat (I) | E por falar na serra de Friburgo... (II)
A serra das Garrat (III) | A serra das Garrat (IV)
As experiências da Leopoldina | As experiências da Leopoldina (II)
DH Esslingen | Artilharia ferroviária | Ferreosfera
Estações em 1960 | Trechos abertos até 1944
Mapas
1991 | 1984 | 1970 | 1965 | 1954 | 1927 | 1907| 1898
Carregamento de pó de mármore | Caboose
Vagões em Porto Novo | Patrimônio histórico: opção de futuro
Pátios e estações ferroviárias
Bauru | Porto Novo | Brasília | Ribeirão Preto | Uvaranas | Angra dos Reis | Calçada
Bananal | Ituanas | Contestado | Porto Velho | Alagoinhas | Queimadas | Aramari
Pau Lavrado | Fortaleza | Sobral | Sarzedo | Pires do Rio | São Carlos | Santa Maria
Lucélia | Inúbia Paulista | Adamantina | Osvaldo Cruz | São José dos Campos
Cachoeiro de Itapemirim | Triângulo | Itabaiana | Teresina | Rio Grande
   

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

  

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013

  

Bibliografia

• A Gretoeste: a história da rede ferroviária GWBR - 25 Abr. 2016

• Índice das revistas Centro-Oeste (1984-1995) - 13 Set. 2015

• Tudo é passageiro - 16 Jul. 2015

• The tramways of Brazil - 22 Mar. 2015

• História do transporte urbano no Brasil - 19 Mar. 2015

• Regulamento de Circulação de Trens da CPEF (1951) - 14 Jan. 2015

• Batalhão Mauá: uma história de grandes feitos - 1º Dez. 2014

• Caminhos de ferro do Rio Grande do Sul - 20 Nov. 2014

• A Era Diesel na EF Central do Brasil - 13 Mar. 2014

• Guia Geral das Estradas de Ferro - 1960 - 13 Fev. 2014

• Sistema ferroviário do Brasil - 1982 - 12 Fev. 2014

  
  

Byteria

Acompanhe no FB


Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade