Centro-Oeste - Trens, ferrovias e ferreomodelismo
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
  
   
   
  

Ferreomodelismo

• Luzes de 0,5 mm (fibra ótica) - 2 Jun. 2016

• Vagão tanque TCQ Esso - 13 Out. 2015

• Escalímetro N / HO pronto para imprimir - 12 Out. 2015

• Carro n° 115 CPEF / ABPF - 9 Out. 2015

• GMDH-1 impressa em 3D - 8 Jun. 2015

• Decais para G12 e C22-7i MRN - 7 Jun. 2015

• Cabine de sinalização em estireno - 19 Dez. 2014

• Cabine de sinalização em palito de fósforo - 17 Dez. 2014

• O vagão Frima Frateschi de 1970 - 3 Jun. 2014

• Decais Trem Rio Doce | Decais Trem Vitória-Belo Horizonte - 28 Jan. 2014

• As locomotivas Alco FA1 e o lançamento Frateschi (1989) na RBF - 21 Out. 2013

• A maquete do Trem turístico Ouro Preto - Mariana (Trem da Vale) - 12 Out. 2013

  

Ferrovias

Os “antigos” trens turísticos a vapor da RFFSA - 21 Nov. 2016

• Estação de Cachoeiro de Itapemirim | Pátio ferroviário (1994) - 28 Fev. 2016

• Caboose, vagões de amônia e locomotivas da SR7 em Alagoinhas (1991) - 25 Fev. 2016

• Locomotivas U23C modificadas para U23CA e U23CE (Numeração e variações) - 17 Fev. 2016

• A chegada da ponta dos trilhos a Brasília (1967) - 4 Fev. 2016

• Livro “Memória histórica da EFCB” - 7 Jan. 2016

• G8 4066 FCA no trem turístico Ouro Preto - Mariana (Girador | Percurso) - 26 Dez. 2015

• Fontes e fotos sobre a locomotiva GMDH1 - 18 Dez. 2015

• Locomotivas Alco RS no Brasil - 11 Dez. 2015

   

Ferreomodelismo live steam
A fundição de fundo de quintal


 
Arnaldo Bottan
Centro-Oeste nº 83 — 1º-Out-1993

O domínio das técnicas de fundição artesanal de ferro, bronze e latão é de muita ajuda para o ferreomodelista que pretenda construir modelos live-steam.

As peças fundidas conseguem reproduzir aquele granulado, aquelas "imperfeições" próprias desse tipo de manufatura.

Sem dúvida, podemos perfeitamente construir nossos pequenos trens a vapor sem recorrer à fundição, trabalhando apenas com usinagem e solda.

Aliás, nos países onde o live-steam é mais praticado, existem projetos à venda, de locomotivas e vagões, onde nenhuma peça é fundida, justamente para facilitar o trabalho dos hobbistas, que nem sempre trabalham em áreas técnicas ou têm espaço suficiente em suas oficinas domésticas.

  

Live-steam vai às bancas

Centro-Oeste nº 83 (1º-Out-1993)

O ferreomodelismo live-steam - locomotivas realmente a vapor - foi reportagem a cores na segunda edição da revista Em Escala, sob o título "Ferreomodelismo de Jardim".

Através de centenas de bancas, em várias cidades, a locomotiva Northern 4-8-4 escala 1:15 de Arnaldo, Pedro Luiz Bottan e Edson Salvador Trovó mais uma vez busca o contato com pessoas que talvez ainda nem saibam que gostariam de ser "live-steamers".

— Você fundiu as peças em casa?!

— Você conseguiu derreter ferro?!

— Mas não são precisas altas temperaturas?!

— E quem fez os modelos?

As pessoas perguntam, como se fosse impossível construir em casa um pequeno forno de fundição, ou confeccionar um modelo de peça em massa plástica e madeira.

Eu também pensava assim. Fundição? Não, só em grandes indústrias!

Ficamos impressionados, ao ver documentários na TV onde aparecem aqueles "riozinhos" de ferro derretido, em meio a homens com roupas de amianto e mil fagulhas. É o que inibe as iniciativas, penso eu.

É perfeitamente possível e segura, a prática da fundição doméstica, tanto em areia — que é a técnica mais simples —; quanto em cera perdida — técnica mais apurada, para peças menores.

A segurança é quase total, pois lidamos com quantidades pequenas de material fundido, no máximo uns 6 kg.

Uma das coisas que mais dão satisfação ao modelista, é quebrar a casca de areia e ver as peças, ainda rubras de calor, sem defeitos, perfeitas.

Em contrapartida, a visão de peças "bichadas", ou uma roda de locomotiva perfeita sob todos os aspectos mas com um único raio que não foi preenchido pelo metal líquido, é deveras frustrante. Mas, que fazer! São ossos do ofício.

Em um próximo artigo, falaremos sobre os vários itens necessários à montagem de uma pequena fundição de fundo de quintal.

  • Embora descrita como "perfeitamente segura", a fundição de metais não deve ser tentada por menores de idade. Também não deve ser tentada em prédio de apartamentos. É necessário um quintal, equipamentos apropriados, e especialmente equipamentos de segurança (FRC).
  • Ver, a propósito, a série "Como produzir domesticamente rodas para locomotivas HO a vapor, fundidas em zamac", de Nelson F. de Lima, CO-13, CO-14, CO-15, CO-16, CO-17, CO-18, CO-19 e CO-20.
   

Ferreofotos

• Alco RSD8 Fepasa - 29 Fev. 2016

• G12 200 Acesita - 22 Fev. 2016

• “Híbrida” GE244 RVPSC - 21 Fev. 2016

• U23C modernizadas C30-7MP - 17 Fev. 2016

• C36ME MRS | em BH | Ferronorte - 14 Fev. 2016

• Carregamento de blocos de granito na SR6 RFFSA (1994) - 7 Fev. 2016

• G12 4103-6N SR6 RFFSA - 6 Fev. 2016

• Toshiba nº 14 DNPVN em Rio Grande - 25 Jan. 2016

• Encarrilamento dos trens do Metrô de Salvador (2010) - 14 Nov. 2015

• Incêndio de vagões tanque em Mogi Mirim (1991) - 9 Nov. 2015

• Trem Húngaro nas oficinas RFFSA Porto Alegre (~1976) - 21 Out. 2015

  

Ferreoclipping

• Livro sobre a GWBR em João Pessoa e Recife - 12 Mai. 2016

• Museu Ferroviário de Natal - 25 Abr. 2016

• Passagens e calendário do trem turístico Ouro Preto - Mariana | Percurso - 20 Dez. 2015

• Passagens e descontos do Trem do Corcovado | Onde comprar - 12 Dez. 2015

• EF Campos do Jordão | Horários | Hospedagem - 15 Jul. 2015

  

Bibliografia

• A Gretoeste: a história da rede ferroviária GWBR - 25 Abr. 2016

• Índice das revistas Centro-Oeste (1984-1995) - 13 Set. 2015

• Tudo é passageiro - 16 Jul. 2015

• The tramways of Brazil - 22 Mar. 2015

• Regulamento de Circulação de Trens da CPEF (1951) - 14 Jan. 2015

• Caminhos de ferro do Rio Grande do Sul - 20 Nov. 2014

  
Ferreomodelismo Live steam
Mini ferrovia para se embarcar | Os trilhos da miniferrovia | Construtores de locomotivas | Uma aventura no tempo do vapor
Live-steam, esse ilustre desconhecido | Miniaturas realmente a vapor | A qualidade dos materiais no live-steam
A escolha da bitola dos trilhos | A fundição de fundo de quintal | Ferrovias públicas em bitola de 15 polegadas
Como conheci o vapor vivo | Como construí minha própria locomotiva | A Dengosa da "EF Caçulinha Brasileira"
Vapor vivo em Vídeos
A locomotiva Mikado de Arnaldo Bottan | Vídeo da locomotiva Mikado 165 EFVM | As locomotivas “vapor vivo” do Déo
Locomotivas a vapor
Como funciona a locomotiva a vapor | Detalhamento de uma Mikado
Classificação de locomotivas a vapor | Classificação Whyte | Classificação Whyte, França, Alemanha | Tentugal nº 50 vs. F.M.Whyte
As locomotivas Garrat no Brasil | Um apito para cada situação | A balada de Casey Jones | Fornalha Wootten
Pacific 4-6-2 nº 339 e 340 RMV | Locomotivas da EF Perus-Pirapora | Jung da Usina Monte Alegre (PB)
Miniatura Mikado realmente a vapor | Vídeo da locomotiva Mikado 165 EFVM

Busca no site
  
       
Ferrovias | Mapas | Estações | Locomotivas | Diesel | Vapor | Elétricas | Carros | Vagões | Trilhos Urbanos | Turismo | Ferreomodelismo | Maquetes ferroviárias | História do hobby | Iniciantes | Ferreosfera | Livros | Documentação | Links | Atualizações | Byteria | Mboabas | Brasília | Home
Sobre o site Centro-Oeste | Contato | Publicidade | Política de privacidade